Segunda edição do Recife Coffee

 

Festival amplia abrangência para Olinda e Porto de Galinhas e conta com número recorde de participantes neste ano

De olho na valorização do segmento de cafeterias artesanais, a capital pernambucana, assim como Olinda e Porto de Galinhas, recebem, entre os dias 2 e 31 de maio, o Recife Coffee 2017. A 2ª edição do festival, organizado por estabelecimentos dedicados ao café, com viés artesanal, em PE, reunirá 25 cafeterias, que oferecerão no período sugestões dos Baristas – formadas obrigatoriamente por cafés ou bebidas com café, uma opção de salgado e uma opção de doce harmonizados, ao custo de R$ 19,90 (dezenove reais e noventa centavos). De quebra, os consumidores poderão contribuir, de maneira espontânea, para as ações do Núcleo de Apoio à Criança com Câncer (NACC), através de doações arrecadas pelas cafeterias durante o festival.

“Nosso objetivo principal é incentivar o consumo de cafés especiais no Estado, e assim fortalecer o pequeno negócio, de quem trabalha com cafés especiais, sendo cafeterias, produtores e/ou instituições de ensino na área; além de fomentar o turismo por meio dos cafés de rua, os quais promovem um intercâmbio não só entre si e o consumidor, como a visita deste a pontos turísticos estratégicos das cidades”, explica Talita Marques, uma das coordenadoras do Recife Coffee.

Ela esclarece ainda que há critérios bem delimitados para a participação das cafeterias no evento. “Tivemos recorde de inscrições neste ano, inclusive de empreendimentos que não se enquadravam, de certa forma, na proposta do festival. O que começou como algo experimental, em 2016, ganhou um corpo maior em 2017. Dessa forma, tivemos que estabelecer critérios mais específicos, como ter barista no estabelecimento no preparo permanente dos cafés; servir apenas cafés do tipo especial, reconhecido pela Abic como grão do gênero; ter atendimento personalizado, com o acompanhamento dos proprietários; e ser um pequeno negócio, ou seja, não pertencer a redes com mais de quatro unidades”, acrescenta.

Com um crescimento no número de participantes de cerca de 60%, o Recife Coffee faz a sua ‘première’, ainda no dia 30 de abril, quando reprisa o Café na Rua – ação dos participantes, marcada pela distribuição de cafés espressos, filtrados e com leite aos transeuntes da Avenida Rio Branco, no coração do Bairro do Recife, e que entregou aproximadamente 1700 cafés distribuídos gratuitamente para um público de cerca de 800 pessoas na edição de 2016.

Realizado em parceria com o Sebrae-PE e com apoio da Prefeitura do Recife (PCR), o festival contempla também o Dia Nacional do Café e Dia do Barista, comemorados, em 24 de maio, em grande estilo pelo RC – que realiza um evento para capacitação de baristas, com a presença de profissionais locais e nacionais, na qual serão abordados aspectos da torrefação, moagem e diferentes métodos de extração e dicas de harmonizações para os cafés especiais.

Em tempo, o festival conta com suporte de instituições que trabalham com o universo do café e empresas que acreditam no projeto, como a Atilla (torrefadores), CoffeeBar, Épura Gráfica Digital, Leitíssimo, além da MWA Comunicação, autora de toda a identidade visual do evento.

Cafés Recife – Naturalmente, pequenos negócios que possuem características semelhantes no ramo de cafeterias se aproximaram e, no último ano, um grupo informal intitulado Cafés Recife com nove estabelecimentos do Recife deu o pontapé inicial para o fortalecimento desse hábito na cidade. Em dezembro de 2015, foi lançado o cartão fidelidade, com a participação de sete cafeterias. O objetivo? Incentivar o consumidor a fazer um circuito pelos cafés de rua da cidade, provando que, ‘juntos, os pequenos são mais fortes’.

Após o sucesso dessa primeira ação, o mesmo grupo resolveu se organizar para realizar a primeira edição do RECIFE COFFEE. Desta vez, com a participação de outros estabelecimentos que se enquadram no perfil intimista e com uma abordagem mais ampla.

Leave your comment