Recife Coffee confirma quarta edição com 35 cafeterias

O circuito de cafés especiais mais aguardado de Pernambuco, o Recife Coffee, confirma a realização da quarta edição de 02 de maio a 02 de junho. Neste ano, participam 35 cafeterias do Recife, Olinda, Jaboatão dos Guararapes, Porto de Galinhas e Petrolina. Com organização da Associação dos Empresários de Cafeterias de Especialidade de Pernambuco (ASCAPE), o festival será lançado no próximo dia 28, no “Café na Rua”, no Recife Antigo, com oficinas, palestras, venda de produtos e distribuição gratuita de mais de 3 mil cafezinhos.

Com a proposta de fortalecer o mercado de cafeterias autorais, com atendimento mais próximo do cliente e que trabalham com grãos especiais, o festival surgiu com o famoso “cartão infidelidade”. “Sete amigos e donos de cafeterias do Recife tiverem a ideia de ‘trocar os clientes’ e fazer um mini-circuito, em 2015, tendo o objetivo de desenvolver o hábito de tomar café especial. Deu tão certo que, em 2016, virou festival, com a participação de 15 estabelecimentos. De lá pra cá, só cresceu”, lembra a presidenta da ASCAPE, Roberta Araújo.

Cresceu tanto que o evento foi ultrapassando as fronteiras do Recife a cada edição. Entram no circuito Olinda (Olinda Café e Zoco Café), Jaboatão dos Guararapes (Fridda Café) e Porto de Galinhas (Moinho do Porto e Café da Moeda). Neste ano, o festival chega ao sertão, com a participação do Café de Bule, de Petrolina. Já Ella Café, Amai Café, Castigliani, Coffee Cube e Confitaria Cake and Coffee são cafeterias recifenses que também fazem parte do festival pela primeira vez.

Na capital pernambucana, as veteranas são: A vida é bela, Café com dengo, Café do Bonde, Café do Brejo, Café Lumiére, Café mais Prosa, Cordel Cafés, Dom Afonso Café, Ernesto Café, Fervo Coffee Shop, GrãoCheff, Kaffe, Lalá Café e Cozinha Afetiva, Leiva Café, Livraria da Praça, Livraria Jaqueira, Mon Cher, Malakoff, Na Venda Café, Orgânico 22 e Tokyo’s Café. A sugestão do barista, oferecida por todas as cafeterias participantes custa R$ 25,90, incluindo um café, um salgado e uma sobremesa.

Nesta edição, a expectativa da organização é que 55 mil pessoas circulem pelas cafeterias durante o período do festival. “Ano passado, foram movimentados R$ 520 mil, aproximadamente, com a venda de 20 mil sugestões do menu especial fechado do festival. Na edição, a previsão de crescimento é de 10%, em relação a 2018. Mas, indiretamente, o evento movimenta bem mais, pois as pessoas acabam consumindo outros produtos das cafeterias, durante visitas motivadas por causa do Recife Coffee”, explica Roberta.

Assim, a partir da união desses estabelecimentos, o festival também mostra a força do pequeno negócio. Entre as regras para uma cafeteria participar do festival, a casa tem que ter um barista, profissional especializado em extrair as melhores características do café, e não pode ser franquia.

Leave your comment