Tony inaugura primeira fábrica de hambúrguer do Norte/Nordeste

O ano de 2019 foi escolhido como um divisor de águas na história do Fipel Frigorífico Industrial. Aos 22 anos de existência, a empresa de alimentos processados localizada no município de Igarassu (PE) inaugura uma nova expansão que dobra sua capacidade de produção e traz o lançamento de novos produtos, entre eles, a primeira fábrica de hambúrguer do Norte/Nordeste do Brasil. A inauguração acontece no próximo dia 26 de janeiro.


A Tony é genuinamente pernambucana e seus produtos estão cada vez mais presentes na mesa e na cozinha dos brasileiros. Sua diversificada linha ganha agora o incremento de hambúrguer, toscana e linguiça fina, que se somam aos já existentes salsicha hot dog, mortadela, salsichão, salsicha viena, linguiça calabresa, mortadela de frango, embutido cozido, linguiça e salsicha premium, salsichão sabor churrasco, salsicha de aves, salsichão de aves, linguiça de frango, linha speciale, lanche de frango e mortadela.


Para esta nova fase, o Fipel Frigorífico Industrial investiu em uma ampliação de suas instalações, em Igarassu, cidade a 27 quilômetros do Recife, que permite o aumento de mais de cem por cento de sua produção. Em área de fabricação, a empresa passa dos atuais 2 mil metros quadrados para 3,3 mil metros quadrados. Os itens já produzidos pela empresa, que somam mais de 1 mil toneladas por mês, devem chegar a 2 mil toneladas/mês. Isso sem contar a nova linha de congelados com hambúrguer (mais 500 t/mês), toscana (mais 200 t/mês) e linguiça fina (também mais 200 t/mês). Somente para se ter uma ideia do crescimento do Fipel, a produção diária atual equivale ao que se fabricava mensalmente há apenas oito anos.


Tamanha expansão reflete direta e imediatamente no número de empregos gerados pelo acréscimo na produção. O quadro de funcionários, que gira em torno de 350 trabalhadores, chegará a 500 pessoas quando o Fipel atingir o máximo de sua capacidade de fabricação.


Outro diferencial está no cuidado com a qualidade dos equipamentos empregados na produção. Máquinas adquiridas de empresas como a americana Tomahawk Manufacturing Inc., a catarinense Torfresma Industrial Ltda. e a paulista Ulma Packaging, reforçam o posicionamento do Fipel no patamar dos melhores processos de fabricação de alimentos processados do País. “Todo esse investimento está sendo realizado simplesmente porque queremos continuar sendo reconhecidos, cada vez mais, como quem faz qualidade”, explica o empreendedor Gilson Saraiva Filho, um dos sócios do Fipel.


O Frigorífico Indústria Pernambuco Ltda. (Fipel) foi criado, em 1997, pelo também empreendedor Marco Porto Carreiro Filho, que batizou a linha de alimentos processados fabricados na empresa com a marca Tony, nome de um antigo frigorífico do pai, fundado em 1981. O know-how no ramo, portanto, já está na família há praticamente quatro décadas e, desde então, só vem se aperfeiçoando. Hoje fornece produtos para todo o Nordeste, além do Estado do Pará, e em breve chegará às demais regiões do Brasil. A empresa conta com um laboratório responsável pelo controle da matéria-prima, por meio de análise laboratoriais e sensoriais.

Receita Malagueta – Cheesecake é a opção perfeita para comemorar o Dia do Queijo

Popular na culinária norte-americana, o cheesecake é o tipo de sobremesa que sempre traz combinações de sabores deliciosas. A Revista Malagueta e a Finna, marca de farinhas e mistura para bolos, ensinam uma versão um pouquinho diferente da original, mas tão gostosa quanto: Cheesecake de Manjericão com Tomatinhos.

Além de ficar sensacional, você ainda consegue comemorar o Dia Mundial do Queijo, 20 de janeiro, com muito charme e, claro, sabor!

Veja o modo de preparo abaixo:
Como fazer Cheesecake de Manjericão com Tomatinhos

Ingredientes:

Massa:
500 g de farinha de trigo Finna sem fermento
1 xícara de margarina bem gelada em pedaços
1 pitada generosa de sal
1 colher de chá de fermento
1 lata de creme de leite com soro (deixar no freezer por 1 hora)

Recheio:
1 xícara (chá) de folhas de manjericão
1 dente de alho
3 colheres (sopa) de queijo parmesão ralado
3 colheres (sopa) de azeite
1 pitada de orégano
Sal
2 xícaras de ricota ralada
1 xícara de cream cheese
1 envelope (12g) de gelatina branca em pó sem sabor com 5 colheres de água quente
½ xícara de creme de leite
Pimenta do reino
Tomatinhos cereja para decorar
Folhas de manjericão e/ou orégano para decorar

Modo de Preparo:

Massa:
– Em um bowl misturar todos os ingredientes. Formando uma massa homogênea.
– Forrar o fundo das forminhas de fundo removível.
– Furar com a ajuda de um garfo a massa.
– Levar para o forno pré-aquecido a 180 graus por 20 minutos.
– Retirar do forno e deixar esfriar.
– Colocar o recheio e levar para geladeira até firmar
– Decorar com tomatinhos cereja e manjericão e servir.
Recheio:
– Bater no liquidificador o azeite, o alho, o creme de leite e as folhinhas de manjericão.
– Acrescentar a mistura o cream cheese, o queijo parmesão ralado e a ricota.
– Temperar com sal e pimenta do reino a gosto
– Acrescentar a gelatina incolor previamente hidratada.
– Colocar o recheio em cima da massa.
– Levar para geladeira até firmar.
– Decorar com tomatinhos e folhas de manjericão.

Verão 2019 com muito vinho!

O Verão chegou com intensidade e as temperaturas estão altas em todo país. Junto com o calor, é cada vez mais comum a busca por bebidas refrescantes, que amenizem, ao menos um pouco, a sensação térmica elevada nesta época do ano. E não é só de cerveja que os brasileiros vivem no Verão. O vinho pode ser uma excelente alternativa para os dias mais quentes. Além de refrescante, a bebida possui propriedades benéficas a saúde e ainda apresenta 50% menos conteúdo energético que sua concorrente.


De acordo com Abel Blumenkrantz, executivo da Garage Vinhos, a principal dica para consumir vinho no Verão é buscar bebidas com boa acidez, notas frutadas e com bastante frescor, que é o caso dos brancos, rosés e dos espumantes. “Por serem leves e terem baixa presença de taninos, causam uma sensação refrescante e, além disso, acompanham muito bem os pratos mais cotados para a referida estação, como saladas, aperitivos, canapés e pratos leves com frutos do mar e queijos magros”, detalha Abel.


Os vinhos brancos, mais tradicionais no Brasil, são cotados para a estação graças à sua acidez equilibrada, seu aroma de frutas cítricas e seu baixo teor alcoólico. São refrescantes e fáceis de beber, sendo muito bem aceitos até mesmo por aqueles que não estão acostumados com a bebida. Já os rosés apresentam quase que as mesmas características do vinho branco leve, porém com um pouco de tanino e coloração em tons de cereja claro e salmão. “São vinhos igualmente refrescantes e versáteis, muito bem aceitos até mesmo para serem apreciados individualmente”, explica o especialista.


Mais tradicionais nas estações com temperaturas elevadas, os espumantes também são uma ótima pedida. Conhecidos pela perlage, as famosas bolinhas originárias da presença do gás carbônico da bebida, os espumantes têm frescor e sabor diferenciados, que dependem também do tipo de uva utilizado na produção e da região de origem. Para os vinhos brancos, rosés e espumantes, o ideal é que sejam servidos em temperatura entre 8 e 10 °C. “Ao degustarmos em temperatura inferior a essa faixa, as papilas gustativas presente em nossas línguas podem se ‘fechar’, fazendo com que não seja possível apreciarmos a bebida na sua totalidade de sabores”, comenta.

Mas se você é do tipo que não abre mão dos tintos, de acordo com Abel Blumenkrantz eles também podem ser degustados nessa época. “O segredo é ficar ligado nas uvas que são utilizadas, e na região em que ele é produzido. Geralmente vinhos com notas frutadas, com poucos taninos e com corpo equilibrado acompanham muito bem um entardecer ou uma noite de altas temperaturas”, sugere. No caso dos tintos, a temperatura ideal é entre 13 e 15 °C. “É importante se lembrar de que adicionar cubos de gelos nessas bebidas não é uma prática recomendada, pois deixará a bebida aguada e dissolverá o sabor original”, completa.

Confira seleção de rótulos especiais para o Verão:

Dicas de vinho branco: Bis Branco (Portugal – R$ 53) e Casas del Toqui Sauvignon Blanc Gran Reserva (Chile – R$ 66)

Dicas de vinhos rosés: Finca La Daniela Malbec Rosé (Argentina – R$ 55) e Navaldar Rosé (Espanha – R$ 59,90)

Dicas de espumantes: Las Perdices Charmat Brut (Argentina – R$ 58) e Las Perdices Champenoise Brut Rosé (Argentina – R$ 85)

Dicas de vinhos tintos: Casas del Toqui Pinot Noir Reserva (Chile – R$ 66)

Chiwake completa 11 anos com lançamento de menu degustação

O peruano Chiwake, localizado no Espinheiro, do chef Biba Fernandes e da sócia Manuella Lisboa, chega ao seu 11º aniversário. E, para celebrar mais um ano do restaurante, o chef Biba Fernandes preparou um menu degustação especial dividido em seis incríveis etapas. O lançamento do menu acontece nesta quinta-feira.

Para iniciar o jantar, o primeiro prato que será servido no menu degustação é o Cebiche Vegano, composto por banana da terra em cubos, cenoura em fios e moyashi marinados em creme de ají, acompanha batata doce, chips de banana da terra, folhas verdes e favas crocantes.

O segundo prato da celebração será servido o Tiradito Amaz prato composto por lâminas de peixe marinada com ovas de tapioca no azeite de coentro, em seguida o Chicharones de Camarones, tempurá de camarão com flocos de tapioca em salsa Nikkei, acompanhado de salada verde.

Já a quarta etapa do jantar será o Lima, prato feito com filé de peixe cozido em bique de moquequinha e camarão grelhado. Acompanha banana da terra grelhada, quiabo grelhado, ovas de tapioca em infusão de coentro e farofa de gengibre. O quinto prato do menu degustação será a Paleta de Cordeiro prensada regada em salsa de seu próprio cozimento, cebolas grelhadas, quinoto e beterraba.

E, para finalizar o menu degustação com uma sobremesa, Biba irá servir o famosos Churros com sorvete de tapioca, calda de doce de leite e chocolate finalizado com farofa de castanha.

Serviço: 
Chiwake
Endereço: R. da Hora, 820 – Espinheiro

Rafael Gomes vence o MasterChef Profissionais 2018


Após conquistar o paladar dos jurados Henrique Fogaça, Paola Carosella e Erick Jacquin, o chef de cozinha Rafael Gomes venceu a terceira temporada do MasterChef Profissionais.

Na grande final, o fluminense preparou um menu batizado como Sem Fronteiras, mostrando a influência das gastronomias do mundo inteiro em sua cozinha.
De entrada, Rafael preparou para os chefs um fricassé de cogumelos com ovo poché, trufa e creme de grana padano e um carpaccio de vieira com rabanete melancia e creme de caviar; os pratos principais foram uma lasanha aberta de cavaquinha com abobrinha e emulsão de tucupi e um pato laqueado com mel com molho de cenoura e cevadinha; para finalizar, tangerina e espuma de mel de cacau com bolo de castanha do Pará e mousseline de açafrão, além de um cremoso de chocolate branco com sorbet de maracujá.

“Foi um desafio enorme largar meu restaurante e voltar ao meu país, para usar produtos que eu não tenho costume e não conhecia. É duro receber críticas quando você está trabalhando e já tem a sua identidade, mas eu só tenho a agradecer aos jurados. Eu vi que se, todas as vezes que eu entrasse atrás da bancada, eu não desse 100%, eu não iria chegar longe”, afirmou o fluminense.

O chef de cozinha leva para casa o cobiçado troféu do MasterChef Profissionais, além de R$ 200 mil com o apoio da Caixa. A Tramontina também vai equipar a cozinha do vencedor com uma cuba completa, coifa, cooktop, fornos, panelas de aço inox, 1 kit chef de facas, além de eletroportáteis Tramontina By Breville. O campeão ainda leva para casa o prêmio de R$ 1 mil em compras por mês durante um ano no cartão Carrefour e R$ 6 mil acumulados durante o programa.

Choperia 4.0

Inovação e tecnologia são as palavras que definem a parceria do Instituto de Inovação do Senai-PE com a Cervejaria Artesanal Ekäut. A união resultou em uma plataforma de Internet das Coisas, a Choperia 4.0, que possui tecnologia digital no controle de abertura e fechamento da torneira. Os consumidores poderão usá-la por meio de um cartão ou telefone celular. A choperia foi apresentada oficialmente durante o evento “Desvendar 4.0”, que aconteceu ontem (quarta-feira 12) no Auditório da Casa da Indústria.