Cervejaria pernambucana lança app com interatividade e realidade aumentada

A pernambucana Capunga é a primeira cervejaria da América Latina a lançar o primeiro app cervejeiro para um rótulo animado. Ele traz realidade aumentada e interatividade. Disponível para IOS e Android, ao baixar o aplicativo é possível jogar com os rótulos da Capunga Lager e Pilsen Praia e ganhar desconto em compras no e-commerce.
“O pioneirismo sempre foi uma uma marca forte da Capunga. E de olho na inovação do mercado de games, lançamos o app para nos aproximarmos dos clientes. Eles já têm um perfil geek bem forte”, detalha o diretor comercial e de marketing da cervejaria, Victor Lamenha.
Montando o quebra-cabeça no tempo limite, o cliente ganha 25% de desconto em compras no site. Cupom válido por 30 dias e todo mês é possível jogar para renovar o desconto. “A ideia é estender a interatividade para os demais rótulos da Capunga. Já estamos estudando junto a Dilis Games Studio, empresa de Campina Grande, que desenvolveu o app”, adianta Lamenha.


CAPUNGA – Criada há quatro anos pelos pernambucanos Victor Lamenha, Dante Peló e Bruno Peló, a Capunga é uma cervejaria artesanal que produz atualmente cinco estilos de cerveja. A Pilsen Praia; a Lager; a American Pale Ale; a India Pale Ale Cumade Florzinha; a Double India Pale Ale, a famosa Bala de Prata. As receitas foram desenvolvidas com carinho e personalidade para proporcionar ao consumidor uma experiência diferente e especial, carregada de cultura e orgulho de Pernambuco.


Em 2018, a marca lançou seu e-commerce com toda sua linha de brejas e também itens que todo cervejeiro adora: copos (em diversos formatos), descanso para copos em madeira, balde de gelo, relógio de parede em madeira artesanal, abridores de diversos modelos e porta-cerveja. Inicialmente, a entrega cobre a Região Metropolitana do Recife, de Barra de Jangada até Igarassu.

DeBron Bier é a única cervejaria do NE a participar do maior festival cervejeiro da América Latina

A Debron Bier, dos sócios Eduardo Farias, Thomé Calmon e Raimundo Dantas, é a única representante do Nordeste a participar de um dos maiores festivais de cerveja do Brasil e América Latina: o Festival Brasileiro de Cerveja. Para a ocasião, a Debron levará, além dos seus tradicionais estilos, as novidades: NutIpa, Cacahuatl Ipa, Banguê, Session Ipa, Strong Ipa e a Brett Ipa, rótulo que ficou envelhecendo por mais de um ano nos barris de amburana. A 11ª edição do festival acontece entre os dias 13 e 16 de março, no Parque Vila Germânica, em Blumenau e conta com 116 cervejarias, que juntas terão mais de 800 rótulos a disposição para quem passar pelos setores do Parque Vila Germânica. O Festival Brasileiro da Cerveja é considerado o maior evento cervejeiro da América Latina.


Debron Bier – Com três anos de existência, a DeBron Bier é referência na capacidade de produção no Nordeste, podendo chegar a 250 mil litros por mês, sendo considerada a maior do segmento na região. A cervejaria já possui reconhecimento nacional e internacional, com os concursos Australian Internacional Beer Awards , na Austrália, Copa Cerveza deAmericas, no Chile, sendo inclusive a cervejaria do Nordeste mais premiada em um dos maiores concurso de cerveja do mundo – o Concurso Brasileiro de Cerveja, além do prêmio máximo no World Beer Awards, onde foi a única do Nordeste a conquistar a medalha Style Winners, como a melhor do mundo na competição com o estilo Imperial Stout. A marca disponibiliza no mercado dez estilos: Lager, Waizen, IPA, Golden Ale, Witbier, Imperial Stout, Vienna, as envelhecidas Banguê Amburana Aged, Banguê Cachaça Oak Aged e Banguê Barrel Aged, além da Craft, pioneira no mercado artesanal em garrafa verde.

Malagueta Pelo Mundo – Gastronomia estrelada na Ilha da Madeira

As refeições são parte importante de qualquer viagem, pois fazem com que os turistas conheçam melhor o destino e sua cultura. Mas, enquanto alguns restaurantes deixam uma viagem ainda melhor, outros são tão incríveis que são o motivo de alguém pegar um avião até onde ele está. É o caso de dois consagrados estabelecimentos da Ilha da Madeira, um destino português em meio ao Oceano Atlântico: o Il Gallo d’Oro e o Restaurante William, ambos premiados pelo Guia Michelin.

O Il Gallo d’Oro fica no Hotel Porto Bay e é o único da ilha a ter duas estrelas Michelin. Sob o comando do chef francês Benoît Sinthon desde 2004, conquistou a primeira estrela há dez anos e alcançou o patamar das duas estrelas em 2017.

Com um ambiente elegante de elementos pastel, terra e dourados que mesclam os estilos clássico e contemporâneo, aposta em uma cozinha aromática de inspiração Ibérica e Mediterrânea considerada excepcional pelo Guia Michelin. Os sabores delicados são obtidos da combinação de produtos regionais como legumes, frutas, ervas e flores com ingredientes de altíssima qualidade da Península Ibérica. Os produtos madeirenses frescos têm um papel fundamental nas criações, que surpreendem pela apresentação cuidadosa.

Além do menu tradicional, às quartas-feiras o Il Gallo d’Oro trabalha com o menu degustação, que pode incluir cinco, seis, nove ou dez criações.

Já a cozinha do Restaurante William, localizado no hotel Belmond Reid’s Palace, está sob comando do primeiro chef madeirense a receber uma estrela Michelin, Luís Pestana. Considerado pelo Guia uma cozinha de grande fineza, conta com um menu impressionante de verdadeiras obras-primas culinárias criadas com ingredientes da estação colhidos na própria Ilha da Madeira.

A decoração predominantemente azul e branca é elegante e requintada, e a localização garante uma vista espetacular para o litoral. O restaurante conseguiu o grande feito de obter sua primeira estrela Michelin em 2017, apenas dois anos após a abertura do estabelecimento.

Sobre a Ilha da Madeira
Considerado o melhor destino insular do mundo, a Ilha da Madeira é um pequeno paraíso português situado em meio à imensidão do Oceano Atlântico. De origem vulcânica, sua localização privilegiada proporciona clima ameno e mar com temperatura agradável o ano inteiro, além de impressionantes cenários de montanhas, vales e penhascos, todos cobertos pela exuberante vegetação Laurissilva, nomeada Patrimônio Natural da Humanidade pela Unesco. O arquipélago é formado por um conjunto de ilhas, sendo as principais e únicas habitadas Madeira e Porto Santo.

Açaí Concept abre nova loja no Recife

A Açaí Concept inaugurou uma nova loja, agora na Avenida Rosa e Silva, 1550, Aflitos. A moderna unidade funciona no modelo self service e vem agregar valor ao mix de produtos oferecidos no local. O investimento do franqueado foi de R$ 150 mil. Com 236 unidades, a marca Açaí Concept é a quarta maior franquia do Nordeste, de acordo com a Associação Brasileira de Franquias.

Para o franqueado da nova loja, Heitor Guedes, as expectativas são as melhores possíveis. “Ainda mais quando a franquia é atrelada a uma marca forte como a Açaí. Isso nos encoraja. A ideia é expandir junto com a marca”, diz.

Dia da Gula: The Brownie Factory prepara opções especiais para aproveitar a data em grande estilo

Neste sábado, 26 de janeiro, é celebrado o Dia da Gula. Se você queria um motivo para sair da dieta, encontrou! De acordo com o Dicionário Aurélio, a gula é o excesso na comida e na bebida, além de apego excessivo a boas iguarias.

Para celebrar a data em homenagem às comidinhas deliciosas em grande estilo, a The Brownie Factory traz várias opções de doces que prometem agradar a todos os gostos. “Buscamos proporcionar bons momentos e experiências que conectam pessoas. Alimentos doces, brownies trazem felicidade para muita gente. Por isso, trabalhamos bastante os aspectos sensoriais: cheiro, visão, paladar e outros sentidos”, explica Pedro Sette, empresário à frente da The Brownie Factory.

Entre as opções, a Double Brownie com sorvete, servida com uma generosa bola do sorvete artesanal de vanilla da The Ice Cream Factory e cobertura de chocolate ou caramelo e dois brownies a sua escolha. A fábrica também oferece a sobremesa queridinha do momento, os Gelados de Brownie. A sobremesa é composta com sorvete da The Ice Cream Factory batido com brownies, e muita calda extra à escolha, nos sabores Gelado de Nutella, Leite Ninho, Brigadeiro Belga, Doce de Leite Argentino e Ovomaltine.

Para quem gosta do clássico Milkshake, a The Brownie traz a bebida nos sabores Leite Ninho, Nutella e Ovomaltine. E, para quem deseja comemorar o Dia da Gula com o carro-chefe da casa, os Brownies, a fábrica conta com quase 30 opções do doce. Bem Casado, Chocolate Belga, Leite Ninho, Churros, Creme Brullé, Doce de Leite Argentino, Ferrero Rocher, Farinha Láctea, Nozes e M&M são alguns sabores oferecidos.

Onde encontrar a The Brownie Factory:Pernambuco: RioMar Shopping, Shopping Recife, Shopping Plaza, Shopping Tacaruna, Shopping Patteo e Pina (Rua Capitão Rebelinho, 418) e Caruaru Shopping. Paraíba: Av. Euzely Fabrício de Souza, 219, Manaíra. Sergipe: Shopping RioMar. Informações: (81) 3071.9514Saiba mais: www.thebrowniefactory.com.br

IPA: a favorita entre as artesanais. Conheça a história

Mestre-cervejeiro Luciano Fialho explica o sucesso da bebida


Índia Pale Ale ou, simplesmente, IPA. Este tipo de cerveja artesanal, de alto teor de álcool e de lúpulo, é a preferida entre os consumidores, de acordo com pesquisa divulgada em 2018 pelo Clube do Malte, um dos maiores comércios online de cervejas do país. Mas, como surgiu essa bebida? Por que esse nome? O mestre-cervejeiro Luciano Fialho, diretor da Dimer & Fialho Consulting – primeira consultoria especializada em cervejas artesanais do Brasil – explica a origem.


De acordo com ele, para explicar esse estilo é necessário voltar à biologia e história. A IPA é uma variação do estilo Pale Ale. Pale em inglês é “pálido”, e por isso a Pale Ale tem esse nome, por ter se originado da Porter, que é bem preta. Tanto a Pale Ale quanto a IPA são mais pálidas que a Porter.


“Quando ocorre a colonização britânica na Índia, os ingleses que lá foram morar recebiam carregamentos de cervejas, e um dos estilos prediletos era a Pale Ale. No entanto, devido ao longo trajeto, tempo elevado e condições de armazenagem, as cervejas chegavam bem ruinzinhas e na maioria dos casos estragadas. Então os ingleses que moravam na Índia começaram a reclamar da qualidade que estavam recebendo”, explicou Fialho.


“Foi quando a coroa britânica contratou o mestre-cervejeiro George Hodgson. Sabendo que álcool mata contaminantes e que o lúpulo (que dá amargor à cerveja) é um excelente bactericida, detonou na receita o teor de álcool e lúpulo. Dessa forma as cervejas chegariam na Índia sem se estragar”, acrescentou.


Esses dois fatores causam um equilíbrio no sabor final da cerveja, quanto mais álcool, recomenda-se aumentar o amargor para ter equilíbrio. “Daí foi criado o novo estilo de cerveja, a India Pale Ale”, destacou o diretor da Dimer & Fialho Consulting.


As cervejas são divididas “taxonomicamente” em Ale e Larger. As primeiras têm uma temperatura mais alta de fermentação, em torno de 20 a 25 graus. Já a Larger, assim como a pilsen, possui baixa fermentação, entre 12 e 15 graus. A IPA é uma Ale e seu fermento “trabalha” melhor em temperaturas mais altas.


Bate-bola com Luciano Fialho, mestre-cervejeiro e diretor da Dimer & Fialho Consulting


1. Por que a IPA caiu no gosto dos apreciadores?“Geralmente homebrewers (caseiros) adoram cervejas com alto teor de álcool e lúpulo. E a IPA confere os dois na mesma receita. Hoje, ser um ‘ipeiro’ é até moda. Apesar da grande maioria dos amantes desse estilo serem homens, já tem muitas mulheres que adoram um amargor diferenciado”.


2. Quais as diferenças entre as variações de IPA? “English IPA seria a forma mais original da receita. Onde o sabor mais marcante vem da escola inglesa conferida por maltes marcantes e lúpulos mais florais. A American IPA confere um aroma mais cítrico dos lúpulos, bem da escola americana. O termo double, Imperial ou Russian determina que a cerveja é ainda mais forte que a original. Por exemplo, a English IPA tem um teor de álcool entre 4,5 e 7,1% v/v, segundo a classificação da American Brewers. Enquanto que a Imperial IPA tem entre 7,6 e 10,6% v/v.


Sobre outras classificações, todos os dias alguém inventa um novo estilo. Porém existem hoje no mundo duas entidades que classificam as cervejas e são reconhecidas. A American Brewers e o BJCP (Beer Judge Certification Program). Geralmente para concursos se leva em conta o AB e não o BJCP.
Existem estilos que já são bem populares, mas que ainda não foram reconhecidos oficialmente por nenhuma dessas duas entidades, como a New England IPA, que leva na receita trigo e aveia e tem uma coloração esbranquiçada”.


3. Que dica você dá para quem deseja produzir uma IPA?“O grande “segredo” da IPA começa pela escolha da receita. Checar se atende a todos os requisitos da classificação desse estilo. Passando pelos maltes e lúpulos escolhidos, além de uma curva de mosturação adequada, e sem esquecer o momento e a forma de fazer o dry hopping (técnica para adicionar mais lúpulo após a fermentação para conferir mais aroma). E para isso, a contratação de uma boa consultoria especializada nisso é primordial. A Dimer & Fialho está aqui para atender essa necessidade do mercado, haja vista a gama de medalhas nacionais e internacionais que temos em vários clientes”.

Tony inaugura primeira fábrica de hambúrguer do Norte/Nordeste

O ano de 2019 foi escolhido como um divisor de águas na história do Fipel Frigorífico Industrial. Aos 22 anos de existência, a empresa de alimentos processados localizada no município de Igarassu (PE) inaugura uma nova expansão que dobra sua capacidade de produção e traz o lançamento de novos produtos, entre eles, a primeira fábrica de hambúrguer do Norte/Nordeste do Brasil. A inauguração acontece no próximo dia 26 de janeiro.


A Tony é genuinamente pernambucana e seus produtos estão cada vez mais presentes na mesa e na cozinha dos brasileiros. Sua diversificada linha ganha agora o incremento de hambúrguer, toscana e linguiça fina, que se somam aos já existentes salsicha hot dog, mortadela, salsichão, salsicha viena, linguiça calabresa, mortadela de frango, embutido cozido, linguiça e salsicha premium, salsichão sabor churrasco, salsicha de aves, salsichão de aves, linguiça de frango, linha speciale, lanche de frango e mortadela.


Para esta nova fase, o Fipel Frigorífico Industrial investiu em uma ampliação de suas instalações, em Igarassu, cidade a 27 quilômetros do Recife, que permite o aumento de mais de cem por cento de sua produção. Em área de fabricação, a empresa passa dos atuais 2 mil metros quadrados para 3,3 mil metros quadrados. Os itens já produzidos pela empresa, que somam mais de 1 mil toneladas por mês, devem chegar a 2 mil toneladas/mês. Isso sem contar a nova linha de congelados com hambúrguer (mais 500 t/mês), toscana (mais 200 t/mês) e linguiça fina (também mais 200 t/mês). Somente para se ter uma ideia do crescimento do Fipel, a produção diária atual equivale ao que se fabricava mensalmente há apenas oito anos.


Tamanha expansão reflete direta e imediatamente no número de empregos gerados pelo acréscimo na produção. O quadro de funcionários, que gira em torno de 350 trabalhadores, chegará a 500 pessoas quando o Fipel atingir o máximo de sua capacidade de fabricação.


Outro diferencial está no cuidado com a qualidade dos equipamentos empregados na produção. Máquinas adquiridas de empresas como a americana Tomahawk Manufacturing Inc., a catarinense Torfresma Industrial Ltda. e a paulista Ulma Packaging, reforçam o posicionamento do Fipel no patamar dos melhores processos de fabricação de alimentos processados do País. “Todo esse investimento está sendo realizado simplesmente porque queremos continuar sendo reconhecidos, cada vez mais, como quem faz qualidade”, explica o empreendedor Gilson Saraiva Filho, um dos sócios do Fipel.


O Frigorífico Indústria Pernambuco Ltda. (Fipel) foi criado, em 1997, pelo também empreendedor Marco Porto Carreiro Filho, que batizou a linha de alimentos processados fabricados na empresa com a marca Tony, nome de um antigo frigorífico do pai, fundado em 1981. O know-how no ramo, portanto, já está na família há praticamente quatro décadas e, desde então, só vem se aperfeiçoando. Hoje fornece produtos para todo o Nordeste, além do Estado do Pará, e em breve chegará às demais regiões do Brasil. A empresa conta com um laboratório responsável pelo controle da matéria-prima, por meio de análise laboratoriais e sensoriais.

Receita Malagueta – Cheesecake é a opção perfeita para comemorar o Dia do Queijo

Popular na culinária norte-americana, o cheesecake é o tipo de sobremesa que sempre traz combinações de sabores deliciosas. A Revista Malagueta e a Finna, marca de farinhas e mistura para bolos, ensinam uma versão um pouquinho diferente da original, mas tão gostosa quanto: Cheesecake de Manjericão com Tomatinhos.

Além de ficar sensacional, você ainda consegue comemorar o Dia Mundial do Queijo, 20 de janeiro, com muito charme e, claro, sabor!

Veja o modo de preparo abaixo:
Como fazer Cheesecake de Manjericão com Tomatinhos

Ingredientes:

Massa:
500 g de farinha de trigo Finna sem fermento
1 xícara de margarina bem gelada em pedaços
1 pitada generosa de sal
1 colher de chá de fermento
1 lata de creme de leite com soro (deixar no freezer por 1 hora)

Recheio:
1 xícara (chá) de folhas de manjericão
1 dente de alho
3 colheres (sopa) de queijo parmesão ralado
3 colheres (sopa) de azeite
1 pitada de orégano
Sal
2 xícaras de ricota ralada
1 xícara de cream cheese
1 envelope (12g) de gelatina branca em pó sem sabor com 5 colheres de água quente
½ xícara de creme de leite
Pimenta do reino
Tomatinhos cereja para decorar
Folhas de manjericão e/ou orégano para decorar

Modo de Preparo:

Massa:
– Em um bowl misturar todos os ingredientes. Formando uma massa homogênea.
– Forrar o fundo das forminhas de fundo removível.
– Furar com a ajuda de um garfo a massa.
– Levar para o forno pré-aquecido a 180 graus por 20 minutos.
– Retirar do forno e deixar esfriar.
– Colocar o recheio e levar para geladeira até firmar
– Decorar com tomatinhos cereja e manjericão e servir.
Recheio:
– Bater no liquidificador o azeite, o alho, o creme de leite e as folhinhas de manjericão.
– Acrescentar a mistura o cream cheese, o queijo parmesão ralado e a ricota.
– Temperar com sal e pimenta do reino a gosto
– Acrescentar a gelatina incolor previamente hidratada.
– Colocar o recheio em cima da massa.
– Levar para geladeira até firmar.
– Decorar com tomatinhos e folhas de manjericão.

Verão 2019 com muito vinho!

O Verão chegou com intensidade e as temperaturas estão altas em todo país. Junto com o calor, é cada vez mais comum a busca por bebidas refrescantes, que amenizem, ao menos um pouco, a sensação térmica elevada nesta época do ano. E não é só de cerveja que os brasileiros vivem no Verão. O vinho pode ser uma excelente alternativa para os dias mais quentes. Além de refrescante, a bebida possui propriedades benéficas a saúde e ainda apresenta 50% menos conteúdo energético que sua concorrente.


De acordo com Abel Blumenkrantz, executivo da Garage Vinhos, a principal dica para consumir vinho no Verão é buscar bebidas com boa acidez, notas frutadas e com bastante frescor, que é o caso dos brancos, rosés e dos espumantes. “Por serem leves e terem baixa presença de taninos, causam uma sensação refrescante e, além disso, acompanham muito bem os pratos mais cotados para a referida estação, como saladas, aperitivos, canapés e pratos leves com frutos do mar e queijos magros”, detalha Abel.


Os vinhos brancos, mais tradicionais no Brasil, são cotados para a estação graças à sua acidez equilibrada, seu aroma de frutas cítricas e seu baixo teor alcoólico. São refrescantes e fáceis de beber, sendo muito bem aceitos até mesmo por aqueles que não estão acostumados com a bebida. Já os rosés apresentam quase que as mesmas características do vinho branco leve, porém com um pouco de tanino e coloração em tons de cereja claro e salmão. “São vinhos igualmente refrescantes e versáteis, muito bem aceitos até mesmo para serem apreciados individualmente”, explica o especialista.


Mais tradicionais nas estações com temperaturas elevadas, os espumantes também são uma ótima pedida. Conhecidos pela perlage, as famosas bolinhas originárias da presença do gás carbônico da bebida, os espumantes têm frescor e sabor diferenciados, que dependem também do tipo de uva utilizado na produção e da região de origem. Para os vinhos brancos, rosés e espumantes, o ideal é que sejam servidos em temperatura entre 8 e 10 °C. “Ao degustarmos em temperatura inferior a essa faixa, as papilas gustativas presente em nossas línguas podem se ‘fechar’, fazendo com que não seja possível apreciarmos a bebida na sua totalidade de sabores”, comenta.

Mas se você é do tipo que não abre mão dos tintos, de acordo com Abel Blumenkrantz eles também podem ser degustados nessa época. “O segredo é ficar ligado nas uvas que são utilizadas, e na região em que ele é produzido. Geralmente vinhos com notas frutadas, com poucos taninos e com corpo equilibrado acompanham muito bem um entardecer ou uma noite de altas temperaturas”, sugere. No caso dos tintos, a temperatura ideal é entre 13 e 15 °C. “É importante se lembrar de que adicionar cubos de gelos nessas bebidas não é uma prática recomendada, pois deixará a bebida aguada e dissolverá o sabor original”, completa.

Confira seleção de rótulos especiais para o Verão:

Dicas de vinho branco: Bis Branco (Portugal – R$ 53) e Casas del Toqui Sauvignon Blanc Gran Reserva (Chile – R$ 66)

Dicas de vinhos rosés: Finca La Daniela Malbec Rosé (Argentina – R$ 55) e Navaldar Rosé (Espanha – R$ 59,90)

Dicas de espumantes: Las Perdices Charmat Brut (Argentina – R$ 58) e Las Perdices Champenoise Brut Rosé (Argentina – R$ 85)

Dicas de vinhos tintos: Casas del Toqui Pinot Noir Reserva (Chile – R$ 66)

Chiwake completa 11 anos com lançamento de menu degustação

O peruano Chiwake, localizado no Espinheiro, do chef Biba Fernandes e da sócia Manuella Lisboa, chega ao seu 11º aniversário. E, para celebrar mais um ano do restaurante, o chef Biba Fernandes preparou um menu degustação especial dividido em seis incríveis etapas. O lançamento do menu acontece nesta quinta-feira.

Para iniciar o jantar, o primeiro prato que será servido no menu degustação é o Cebiche Vegano, composto por banana da terra em cubos, cenoura em fios e moyashi marinados em creme de ají, acompanha batata doce, chips de banana da terra, folhas verdes e favas crocantes.

O segundo prato da celebração será servido o Tiradito Amaz prato composto por lâminas de peixe marinada com ovas de tapioca no azeite de coentro, em seguida o Chicharones de Camarones, tempurá de camarão com flocos de tapioca em salsa Nikkei, acompanhado de salada verde.

Já a quarta etapa do jantar será o Lima, prato feito com filé de peixe cozido em bique de moquequinha e camarão grelhado. Acompanha banana da terra grelhada, quiabo grelhado, ovas de tapioca em infusão de coentro e farofa de gengibre. O quinto prato do menu degustação será a Paleta de Cordeiro prensada regada em salsa de seu próprio cozimento, cebolas grelhadas, quinoto e beterraba.

E, para finalizar o menu degustação com uma sobremesa, Biba irá servir o famosos Churros com sorvete de tapioca, calda de doce de leite e chocolate finalizado com farofa de castanha.

Serviço: 
Chiwake
Endereço: R. da Hora, 820 – Espinheiro